Nanotecnologia

As nanopartículas possuem um tamanho de até 100 nanómetros (nm), ou melhor: pequeno. 1 milhão de nanómetros representa apenas 1 milímetro. Nesta dimensão extremamente pequena, as partículas adquirem muitas propriedades novas e entusiasmantes: Usando nanopartículas, as loções de proteção solar tornam-se “invisíveis”, polimento de automóveis – resistente a riscos, vidro – repelente de sujidade, materiais de construção – simultaneamente mais resistentes e mais leves, e pneus de automóvel – com resistência ao desgaste – apenas para citar alguns exemplos. A nanotecnologia é o setor industrial que recorre a nanopartículas e nanomateriais. Devido às novas propriedades entusiasmantes dos nanomateriais, todos os anos há uma maior oferta de produtos resultantes da nanotecnologia.

Como é óbvio, os nanomateriais e os produtos resultantes da nanotecnologia têm de ser seguros. É imperativo que não sejam nocivos para o ser humano ou para o meio ambiente. Tradicionalmente, os perigos das substâncias são testados em animais. No entanto, o teste em animais não é aconselhável por questões éticas. Além disso, o número de nanomateriais e o sem-número de diferentes aplicações exigiriam um grande número de testes. Este foi o estímulo do Grupo de Trabalho ECETOC sobre os Nanomateriais (ECETOC Nano TF): Certificar-se de que a nossa sociedade pode beneficiar de produtos seguros resultantes da nanotecnologia e certificar-se de que os testes em animais são limitados ao mínimo absoluto.

No ECETOC Nano TF, especialistas dos associados do ECETOC conjugaram esforços para realizar com sucesso esta tarefa imensa. Os especialistas identificaram a designada “associação” de substâncias como a ferramenta para garantir que os nanomateriais são seguros e que os ensaios são eficazes e evitam a utilização de animais: A associação com sustentação científica permite prever a toxicidade de uma substância por comparação com substâncias semelhantes. No entanto, as propriedades dos nanomateriais e as respetivas interações com os sistemas biológicos podem ser muito complexas. Por esse motivo, ainda não se encontra disponível um conceito de associação abrangente para nanomateriais.

Para ajudar a suprir esta lacuna na avaliação dos riscos, o ECETOC Nano TF desenvolveu um Enquadramento de tomada de decisão para a associação e o teste de nanomateriais (DF4nanoGrouping) que também teve em consideração dados relevantes resultantes de anteriores workshops e atividades do ECETOC. Em 3 fases, o DF4nanoGrouping tem em consideração todas as propriedades relevantes dos nanomateriais. Passo a passo, os potenciais perigos são descartados. Os nanomateriais perigosos são identificados utilizando testes não realizados em animais como, por exemplo, métodos de cultura de células. Apenas se recorre a testes em animais se não for possível descartar os perigos nos testes não realizados em animais. Mesmo aí, são selecionados testes especiais em animais que utilizam menos animais e são menos angustiantes do que os testes tradicionais.
Estudos de caso confirmaram a utilidade do DF4nanoGrouping. Todos os materiais que possam ser perigosos para animais ou seres humanos foram reconhecidos nas fases do DF4nanoGrouping em que não se recorre a animais. Consequentemente, o DF4nanoGrouping fornece uma base científica sólida para a avaliação dos riscos.
O ECETOC Nano TF publicou os resultados do seu trabalho em 3 artigos amplamente reconhecidos que foram imprimidos num jornal internacional de renome (consulte as Publicações Relacionadas abaixo). Além disso, os seus membros estão empenhados em implementar o DF4nanoGrouping na comunidade científica, por exemplo, apresentando-o em inúmeros congressos e workshops científicos.